Diversidade de sistemas e tecnologias é aliada da eficiência energética

A diversidade de sistemas e tecnologias disponíveis permite ao projetista de climatização um leque de opções para a manutenção do conforto térmico e da qualidade do ar, sem elevação substancial no consumo de energia.  Ambientes que funcionam em condições diferentes do restante de um edifício atendido por um sistema de água gelada, como pequenos CPDs, ou que operem em horários irregulares, como salas de reuniões, quando a central da edificação está desligada ou, ainda, situações que exigem redundância, podem recorrer a um sistema de expansão direta dedicado.

Rafael Dutra, executivo de vendas da Trane, explica que, além dos exemplos citados, “é muito comum a utilização de sistemas splits em guaritas ou ambientes que ficam distantes do corpo central da edificação. Um exemplo interessante é utilizar sistemas de expansão direta para pré-condicionamento do ar externo, suprindo o sistema central de fancoils com chillers. A vantagem de utilizar esse sistema é que por usar a expansão direta no ar externo, não seria necessário utilizar temperaturas mais baixas de água gelada no chiller ou fancoils com serpentinas muito profundas. Estes componentes devem ser devidamente selecionados, é claro, e avaliado se a solução faz sentido econômico em cada aplicação. De fato, a decisão de utilizar em uma edificação um sistema alternativo ao principal é uma decisão econômica, ou seja, sendo atendidos os critérios de projeto em termos de conforto e aplicação, deve ser avaliado se faz mais sentido econômico a utilização de um sistema alternativo ou não.”

“Aplicações em que o controle de umidade relativa, por exemplo, é fundamental, a utilização de sistemas com água gelada podem ser os mais indicados. No setor da saúde, sistemas com água gelada podem muito bem ser compartilhados com sistemas onde a expansão direta pode ter uma maior eficiência, como quartos de internação climatizados por sistemas VRF, enquanto os centros cirúrgicos por água gelada. Aplicações que necessitam de altos volumes de ar podem ser atendidas com sistemas de expansão direta do tipo Large Split ou Rooftop, ou água gelada, em que os sistemas VRF dificilmente conseguiriam manter os níveis de umidade relativa controlados, ou a associação de sistemas VRF para escritórios e de água gelada para áreas de produção”, defende Cristiano Brasil, coordenador de aplicações da Midea Carrier.

Segundo Brasil, a utilização de sistemas de expansão direta e indireta em uma mesma edificação pode trazer ganhos energéticos. “A Midea Carrier tem se esforçado para difundir este conceito já há alguns anos. O assunto foi tema de palestras nossas no Mercofrio e no Encontro Nacional de Projetistas e Consultores de 2018. Nos dois eventos demonstramos, com o auxílio do software Hourly Analysis Program da Carrier Corporation, que os sistemas híbridos devem ser sempre considerados.”

 

Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions Alcantara Machado sobre o mercado. Para continuar lendo, visite o site Abrava com a matéria completa.

Facebook Comments Box