A crescente relevância da automação e a integração dos sistemas

Por Engenharia e Arquitetura

A crescente relevância da automação e a integração dos sistemas
Foto reprodução

É impossível pensar o mundo sem automação. Ao adentrarmos o estacionamento de um shopping center ou hipermercado, podemos obter o total de vagas disponíveis e onde estão localizadas. Ao percorrermos as áreas de expositores frigoríficos, podemos não perceber, mas as temperaturas estão sendo controladas de acordo com as necessidades impostas ao armazenamento de cada produto. Assim como a temperatura ambiente está sendo monitorada para proporcionar o máximo conforto para os usuários, de acordo com a quantidade de pessoas no estabelecimento e as condições exteriores.

“Os sistemas de automação e controle têm um papel fundamental em nosso dia a dia. Com o crescente uso de tecnologias em nossa rotina, sistemas de automação e controle conseguem proporcionar de forma rápida e segura a informações dos sistemas prediais, como situação e estado de operação do sistema de AVAC, acionando rotinas automáticas para garantir o conforto e a qualidade do ar, fornecendo informação em tempo real para os administradores que podem ter dados, alarmes e telas gráficas diretamente em seu smartphone”, explica Marcos Torres Boragini, da Torres Commissioning.

Thomas Spitzl, da Galpão do Ar, enxerga a automação “como uma ferramenta de gerenciamento e controle poderosa, que permite ao administrador ter todas as informações em tempo real e as tendências da situação de conforto e saúde de seu usuário, assim como a estratégia energética aplicada em seu empreendimento, medindo e acompanhando os resultados.”

Para tanto, Leandro Medéa, da Belimo Brasil, divide um sistema BMS clássico em três funções básicas: controle, monitoramento e configuração. “Para controle, os algoritmos examinam entradas, como dados de sensor e ocupação, para determinar como modular ou ligar e desligar válvulas, ventiladores, amortecedores etc. O monitoramento permite visualizar entradas, saídas e alarmes de diagnóstico em tempo real ou através de registros históricos para verificar que o sistema está controlando como desejado. A configuração é o processo de alterar os ajustes e modificar como os algoritmos são aplicados e em quais pontos dos dados. Há uma quarta função, análise e otimização, que às vezes é fornecida por um sistema secundário que tem acesso a todos os mesmos dados que o BMS, mas foi criada com o objetivo de analisar padrões e tendências nos dados para fornecer indicadores significativos do desempenho predial e oportunidades de melhoria.”

“A automação tem sido fundamental na busca dos parâmetros exigidos por normas de forma confiável e rastreável. Podemos citar, por exemplo, no segmento hospitalar, a norma NBR 7256. Essa norma exige controle de temperatura, umidade e pressão diferencial de sala em ambientes como centros cirúrgicos, isolamentos e UTI’s”, continua Tiago Falcão, diretor da Microblau.

Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions sobre o mercado. Para continuar lendo, visite o site Engenharia e Arquitetura com a matéria completa.

Facebook Comments