Como fazer o teste de continuidade corretamente

Procedimento permite verificar passagem de corrente por circuitos, componentes e condutores elétricos e eletrônicos.

No segmento de refrigeração e climatização, é muito comum realizar testes de componentes elétricos, eletromecânicos ou eletrônicos com o auxílio de um multímetro ou alicate amperímetro.

O teste mais usual, independentemente do nível de conhecimento do refrigerista — básico, intermediário ou avançado —, é o teste de continuidade.

Mas o que vem a ser isso?

O teste de continuidade é um procedimento de verificação de um circuito, componentes e condutores, de forma a garantir que a passagem da corrente seja possível ou não através deles pelos valores de resistências ôhmicas.

Por exemplo, imagine que o um refrigerador não está funcionando, não liga de jeito nenhum. Após alguns testes de tensão elétrica na tomada e certificando-se de que o disjuntor não esteja desarmado, você coloca o termostato no máximo (em refrigerador convencional), abre e fecha a porta para ver se a lâmpada acende e nada. Nos refrigeradores frost free ainda é pior, nada acende.

Você pode pensar: “Caramba, queimou o refrigerador. E agora?”. Calma.

Então, o jeito é partir para o teste de continuidade no cabo de alimentação (cabo de energia), conhecido também como “cabo de força”.

O passo a passo é muito simples. Tenha em mãos um multímetro, coloque a ponta de prova preta na indicação do ponto comum (letra C no aparelho) e a ponta vermelha no lado que indica a resistência ôhmica, simbolizado com a letra grega Ω.

A escala de resistência ômica deve ser ajustada para o valor mais baixo do instrumento que, em alguns modelos, será de 200 Ω. Veja que nessa escala de resistência ôhmica há um símbolo como esse:

Esse símbolo pode estar junto ou não do símbolo do diodo, conforme o exemplo abaixo:

De qualquer forma, isso vai variar muito da marca e do modelo do instrumento; no entanto, esses são os símbolos utilizados normalmente.

Bem, com o instrumento ajustado. o teste se inicia com qualquer uma das pontas de provas em um dos pinos do cabo de alimentação e a outra ponta de prova do outro lado do cabo de alimentação (seguir o cabo de mesma cor).

Isso é feito também com o outro lado do pino, assim também no pino central (aterramento), caso tenha.

Assim que a ponta de prova encostar do outro lado do cabo, o sinal sonoro (beep) deve ser ouvido. O que significa que o cabo não está rompido e seu problema não está ali.

Agora, se um lado do cabo dá o sinal sonoro (beep) e os outros não, dizemos que o cabo está rompido. Há 4 formas de falar a mesma coisa: cabo rompido; sem continuidade; aberto ou infinito.

Nessa falha. o visor do seu aparelho mostrará OL ou 1.

Atenção: a continuidade não é uma grandeza a ser medida, mas sim um método de medida. No sistema internacional de unidades, não existe a unidade “continuidade”. O que se mede nesse teste é a resistência elétrica, simbolizada pela letra grega Ω e, por ser um valor bem pequeno, chamamos, na prática, de continuidade.

Mas cadê o teste de continuidade que sempre fazemos errado, como diz o tema deste post? Aí é que vem o pulo do gato. Você já se perguntou por que o multímetro emite um beep? Obviamente, é porque deu continuidade, nós sabemos. Mas, tecnicamente, como se explica isso? E é exatamente aqui que você pode errar.

Na prática, se o teste deu beep, o componente ou cabo está bom, e se não der beep, está ruim, certo? Errado! Isso não é totalmente verdade porque depende do componente que você está medindo.

O beep do seu multímetro ou amperímetro só acontece com valores de resistências inferiores a 100 Ω (modelo Brasfort) ou abaixo de 50 Ω (modelo Minipa). Acesse os manuais deles aqui e aqui, respectivamente.

Indutores, bobinas, sensores e resistências elétricas, por exemplo, têm valores muito superiores a 50 Ω, o que não vai dar o sinal de beep. Aqui você corre o risco de estar condenando um componente bom apenas por não ter ouvido o sinal sonoro.

No entanto, se esses componentes estiverem com defeito ou circuito aberto, permanece a indicação de infinito no display (OL ou 1).

Por esse motivo afirmamos que, se você faz testes
de continuidade dessa forma (apenas pelo beep), sim, você faz o teste de continuidade de maneira incorreta.

Para finalizar, temos aqui as 3 possibilidades do teste de continuidade, de acordo com o visor do seu instrumento:

OL ou 1 = indica circuito aberto, rompido, infinito ou sem continuidade.

000 = indica curto circuito

= indica continuidade ou fechado.

Esta é uma curadoria de conteúdo da RX Brasil sobre Como fazer o teste de continuidade corretamente. Para continuar lendo, acesse o site BlogdoFrio.

Facebook Comments Box